Entenda a importância do plano de sucessão empresarial para um negócio
Gestão de Pessoas

Entenda a importância do plano de sucessão empresarial para um negócio

Top Employers
Escrito por Top Employers

O mundo dos negócios é dinâmico, por isso é comum que empresas tenham de se transformar para permanecer em atividade. Essas mudanças podem envolver desde um reposicionamento de marca até algo mais profundo, como a sucessão empresarial.

Esse processo, muito frequente em empresas familiares, também pode acontecer em outros tipos de organização, por diversos motivos. Seja qual for a razão, é necessário elaborar um bom plano para que ele ocorra da melhor forma possível.

Pensando nisso, explicamos neste artigo tudo o que você precisa saber sobre sucessão empresarial: o conceito, seu funcionamento e as melhores dicas para colocá-la em prática de forma efetiva. Quer saber mais? Confira a seguir!

O que é sucessão empresarial?

A sucessão empresarial ocorre quando o controle de uma organização é transmitido para outra pessoa jurídica. Não se trata de uma simples mudança gerencial, já que toda a operação, contas e até mesmo questões jurídicas passam a ser administrados por uma nova empresa.

A maioria das corporações com muito tempo de mercado já passou ou ainda vai passar por essa situação. Ela é vista como tabu por muitos profissionais, já que mexe profundamente com o futuro dos envolvidos. Porém, com o planejamento certo é possível fazer a transição de forma tranquila e eficiente.

A necessidade de sucessão pode ocorrer por diversas razões, como fusão, venda do negócio ou mudança de empresa individual para sociedade. Existem três tipos básicos, cada um recomendado para um tipo de situação. São eles:

  • sucessão familiar — ocorre quando os donos originais transferem a titularidade da empresa aos seus herdeiros naturais ou outro familiar. Pode acontecer por contrato ou em razão de falecimento;

  • sucessão trabalhista — nesse caso, o novo dono assume as obrigações trabalhistas do antigo administrador. Não há consequências para os empregados, que mantêm seus direitos intactos;

  • aquisição de fundo de comércio — o sucessor adquire o ponto comercial, os bens e as dívidas do antecessor.

Qual é a importância de planejar a sucessão empresarial?

Um bom plano de sucessão empresarial deve levar de 5 a 7 anos para ser implementado. Todos os contratos pendentes, passivos trabalhistas e créditos tributários passam para uma nova gestão, o que acarreta profundas mudanças para todos os envolvidos.

Conduzir a transição de forma planejada é importante para preservar os direitos dos colaboradores e preservar a reputação da empresa no mercado. A relação entre a atual administração e a sucessória deve ser a melhor possível, de modo a contornar possíveis divergências.

Em empresas familiares, conseguir isso é um pouco mais simples, pois provavelmente os novos donos já estavam inseridos no ambiente organizacional. Já quando há uma fusão ou aquisição do negócio, a diferença de ideias pode ser maior, o que requer grande poder de conciliação.

Em ambos os casos, é primordial ter um plano de sucessão bem desenhado e adequado à realidade da empresa. Sem isso, os colaboradores ficam inseguros, o que resulta em desmotivação, aumento no turnover e conflitos na gestão.

Como elaborar um plano de sucessão efetivo?

Para que o plano seja bem executado, é preciso tomar alguns cuidados na elaboração. Veja abaixo os principais passos que devem ser seguidos.

Faça um planejamento flexível

Como a transição é gradual, é comum que ela sofra influência de demandas internas e externas ao longo da implementação.

Por exemplo: os acionistas podem exigir contratação de um CEO com conhecimento avançado em gestão, algo que pode não estar nos planos iniciais. Também pode acontecer de um problema de saúde afastar um sucessor que estava sendo preparado há anos, o que pediria uma solução rápida e criativa.

Por isso, o plano não deve ser rígido demais para poder se adaptar a essas situações que podem surgir pelo caminho. Caso contrário, os obstáculos podem se transformar em grandes problemas.

Elabore estratégias e operações de transição

Um bom plano deve conter estratégias e procedimentos adequados para a transição. Os detalhes a respeito da mudança de gestão devem ser compartilhados com os colaboradores, em especial com aqueles que ocupam cargos de alto nível.

Assim, é possível obter um real comprometimento e cooperação para que as mudanças ocorram, independentemente dos motivos que levaram ao rearranjo.

Prepare os futuros líderes

É essencial que o atual gestor compartilhe suas experiências com os futuros líderes. Treinamento é a chave para o sucesso da transição: revele aos novos administradores todos os segredos e caminhos do negócio. Isso será essencial para reduzir o impacto das mudanças que estão por vir.

É necessário fazer uma avaliação constante do quadro de funcionários a fim de prever novas possibilidades na estrutura hierárquica da empresa. O RH, junto com lideranças estratégicas, pode analisar os melhores talentos da organização e definir quem tem mais mérito para assumir novos cargos.

Engaje a equipe

A sucessão empresarial não envolve apenas a alta cúpula, mas todos os funcionários. Por isso, é fundamental incluir e engajar a equipe, mantendo os colaboradores informados sobre todos os passos da transição. Com um time 100% comprometido, todos se empenham ao máximo para entregar bons resultados e aumentar as chances de crescimento da empresa.

Tome decisões racionais

É muito comum, principalmente em sucessões familiares, que o dono tome decisões emotivas. No entanto, nem sempre o que você gostaria de fazer é realmente o que trará os melhores resultados para a empresa.

Portanto, esqueça a ideia de transferir o comando para o seu primogênito, caso ele não esteja preparado. Analise todas as possibilidades e aposte sempre no gestor mais adequado para as necessidades do negócio. O que vale é deixar o poder nas mãos da pessoa mais habilitada, sendo ela sua primeira opção ou não.

Conte com apoio especializado

Para uma sucessão empresarial adequada, o ideal é contar com o apoio de uma consultoria especializada no assunto. Esse parceiro vai fazer uma análise completa da situação da organização, da antiga gestão e da nova administração, utilizando esses dados para traçar um plano alinhado às necessidades do empreendimento. Isso é essencial para manter a empresa produtiva e competitiva, mesmo em fase de transição.

Agora que você já sabe tudo sobre sucessão empresarial, é hora de colocar o que aprendeu em prática. Se a sua organização está prestes a passar por esse processo, procure iniciar o planejamento com antecedência, avalie todas as variáveis e torne a transição mais fácil para todos. Assim, a organização certamente continuará relevante e em destaque no mercado.

Gostou deste artigo? Para se aprofundar ainda mais em gestão de negócios, confira este outro conteúdo do blog: 7 tendências em liderança corporativa até 2025!

Assine nossa Newsletter!

Gostou deste conteúdo? Aproveite os ícones abaixo e compartilhe na suas redes sociais

Sobre o autor

Top Employers

Top Employers

Deixar comentário.

Share This